POR ROTAS (AINDA) POUCO “NAVEGADAS”

      Não, não foi preciso entrarmos a bordo de embarcação de uma operadora marítimo- turística. Esta navegação seguiu por terra, sem ondas nem os concomitantes enjoos, pelos “mares” do Bairro do Visconde (Porquê este nome? Bom, a “Voz do Mar” explica, num artigo da autoria do Sr. Fernando Engenheiro – pesquisem, se fazem favor, que este não é o tempo nem o lugar para tal explicação).

      A nossa bússola e leme foi o Sr. Romão José Soares Guincho, nado e criado neste bairro. Começou por descrever as condições difíceis em que a população do bairro vivia, com a inexistência de água canalizada, eletricidade e instalações sanitárias nas barracas de madeira que constituíam a habitação na altura, saltitando por caminhos desenhados na rocha, à beira - mar. As brincadeiras das crianças processavam-se no Carreiro de S. Marcos (antigo Carreiro Fedorento, diríamos nós, os menos novos…), dentro e fora de água.

         Hoje em dia, as habitações são já de pedra e cal e os arruamentos cimentados, o que permite melhores condições de vida e o aproveitamento turístico de um espaço construído sobre a arriba.

       Os alunos do 1º ano do curso profissional de Técnico de Turismo Ambiental e Rural, percorreram então, no dia 11 de janeiro as ruas estreitas do bairro, tendo o nosso guia aproveitado para fazer a história dos locais por onde íamos passando, com o contributo adicional da vizinhança: os nomes pitorescos das ruas, os espaços de utilidade pública, os miradouros, a Cova dos Estudantes (hoje soterrada), o passadiço junto à Fortaleza, os alojamentos locais com localização privilegiada, a antiga piscina de água salgada, e, logo ao lado, a prainha, semi - escondida e de quase todos desconhecida, a praia do Porto da Areia Sul, a história trágica da fábrica do Visconde.

      Ficámos a saber que o bairro tem um número crescente de unidades hoteleiras e que é cada vez mais procurado por população estrangeira, quer para visitar as suas belezas naturais e paisagens deslumbrantes, quer para aquisição de habitação permanente.

     Saímos todos, alunos e professores, mais enriquecidos e, acima de tudo, mais conhecedores da nossa história local.

 

visconde

Clique para ver todas as fotos >>

© 2023 - Escola Secundária de Peniche